Os ganhos de energia vão depender de diversos fatores como a obsoledência do parque de computadores e do poder de compactação do software utilizado

SÃO PAULO – A economia de energia com a virtualização vai de 50 a 80%, segundo a IBM.

Os ganhos de energia vão depender de diversos fatores como a obsolecência do parque de computadores e do poder de compactação do software utilizado, de acordo com Roberto Diniz, executivo de otimização de TI da IBM.

Diniz participou dos Diálogos Itaú de Sustantabilidade. O evento, realizado na segunda-feira (27/04) em São Paulo teve como tema a TI Verde, e foi mediado pela diretora de redação da INFO, Débora Fortes.

Para que um projeto de TI verde seja bem sucedido em uma empresa, Diniz recomenda que primeiramente seja feito um diagnóstico. “É importante fazer medições para obter fundamentos concretos e mensuráveis para enfrentar a resistência cultural que geralmente existe dentro das empresas”, diz. Além da virtualização, Diniz também aponta o uso dos data center modulares como forma de economizar energia e ressalta a importância do uso de softwares para gerenciar o uso de energia.

A IBM pretende, até 2011, dobrar a capacidade de seus servidores (em KWh ou m2) mantendo o mesmo gasto de energia dos equipamentos. “Para isso, é preciso economizar espaço, o ar condicionado e a energia elétrica”, diz. O projeto, chamado de IBM Big Green, conta com 1000 especialistas da empresa dedicados a reduzir em 42% a contribuição da empresa para o aquecimento global, até 2011.

Diniz acredita que a computação em nuvem poderá contribuir para a economia de energia. ” Não haverá condição no futuro para que cada um de nós tenha um computador mal aproveitado, isso é pouco sustentável. É importante que os computadores estejam conectados entre si numa grande rede, de forma coerente”, diz.

Fonte: Info Online