Pelo menos é isso o que estão dizendo os desenvolvedores da distribuição Linux mais popular no pequeno universo constituído pelo único por cento dos usuários de computador que o utilizam como sistema operacional. A promessa é que o tempo de boot do Ubuntu que será lançado em abril do ano que vem caia dos atuais ~25 segundos para dez segundos.

Para melhorar a performance do boot, a equipe da Canonical focará seus esforços em tentar fazer com que os componentes estejam prontos em menos tempo, de modo que o Xorg carregue o mais rápido possível. A meta é fazer com que o kernel e o initramfs (arquivo temporário que facilita o processo de inicialização) levem dois segundos para estarem prontos, drivers, sistemas de arquivos e outros processos demorem mais dois segundos, e mais dois segundos para o Xorg. Os quatro segundos restantes seriam para a inicialização do desktop e da sessão de usuário.

Usando um Dell Mini 9 – que já vem de fábrica com Ubuntu instalado – como hardware referência para a realização dos testes de performance, à primeira vista dá pra se pensar que o foco está nos netbooks. Porém esta meta é para Ubuntu rodando em PCs comuns.

Fonte: Meio Bit e Ars Technica